Justiça manda Pétala procurar emprego em processo de divórcio e pensão

Pétala Barreiros levou uma bronca da Justiça no processo que move contra o ex-marido, Marcos Aurélio Santos de Araujo, dono do VillaMix e atual namorado de Lívia Andrade. Ela havia pedido 120 salários mínimos de pensão alimentícia para os dois filhos que teve com o empresário e mais R$ 7 milhões em partilhas de bens. A juíza que aplicou a sentença considerou boa parte das exigências como “abusiva” e praticamente mandou a participante de A Fazenda 14 “procurar emprego”.

Ela havia tentado provar na Justiça que teve sua vida interrompida pelo ex-marido, alegando que era proibida de trabalhar e até mesmo de estudar. Mas não apresentou provas suficientes para sustentar suas colocações. Além disso, a juíza que acompanhou o caso ainda apontou que Pétala ganha dinheiro trabalhando como influenciadora digital, e reforçou que o sustento das crianças não é da obrigação apenas de um dos genitores, e que ambos têm condições plenas de trabalhar.

Não foi evidenciada nenhuma incapacidade para que a requerente vá em busca do próprio sustento e nada impedia ou impede que vá atrás de sua imediata reinserção no mercado de trabalho. As alegações de que teria trancado matrícula em instituição de ensino superior por determinação do autor e não possuir formação profissional, técnica ou superior, por si só, não justificam a fixação dos alimentos no patamar pretendido“, despachou a juíza Flavia Beatriz Gonçalez da Silva, do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Pétala fez uma série de exigências em seu processo de divórcio. A principal delas foi o pedido de 60 salários mínimos de pensão para cada um de seus filhos, Lucas e Lorenzo, frutos de sua relação com Marcos Aurélio. Ou seja, mensalmente, ela queria R$ 145.440,00 para arcar com os custos das crianças.

Porém, Marcos já estava pagando a quantia de 17 salários mínimos de pensão a Lucas, e mais R$ 3 mil a Lorenzo, que nasceu quando os dois já haviam se separado. A Justiça entendeu como exagerado o pedido de Pétala, e instituiu que o empresário, por conta de seu elevado padrão de vida, pagasse 17 salários mínimos a cada um dos filhos, totalizando R$ 41.208,00 para as duas crianças.

Ou seja, a participante de A Fazenda 14 receberá menos de um terço do valor que pretendia arrecadar somente por meio dos filhos que gerou em sua relação com o empresário.

Fora isso, também pediu o reconhecimento da união estável por um período em que ela era apenas amante de seu ex-marido. Os dois iniciaram o relacionamento em meados de 2015, enquanto Marcos ainda era casado com Aline Peixoto, de quem só se separou oficialmente em dezembro de 2017.

A união estável entre Pétala e Marcos só foi assinada em 2018, mas ela queria provar que já vivia em uma relação parelha a casamento desde quando era amante. Para provar sua tese, usou fotos sem comprovação de datas e não apresentou nenhum documento mais substancial que a ajudasse na sentença. A juíza não acatou seu pedido.

Embora também tenha exigido a quantia de R$ 7 milhões por conta da divisão de bens pelo período em que se mantiveram casados, a Justiça não acatou o pedido de Pétala, mas ordenou que houvesse a partilha parcial do patrimônio conquistado entre fevereiro de 2018 e março de 2020.

Marcos ainda terá que pagar plano de saúde de Pétala e o condomínio do apartamento em que reside pelo período de dois anos, além das parcelas remanescentes do financiamento de seu automóvel.

Author

Share